terça-feira, 29 de julho de 2008

Festa de Batuque





Um dos grandes sambas da história do carnaval de Porto Alegre na voz do grande Jajá. O samba foi cantado em 1995 pelos Bambas da Orgia, embora a escola não tenha vencido o samba entrou para a história da escola e do carnaval.

Festa de Batuque

Gegê, Nagô, Gexá, Oiô, Cabinda (Bis)
O candomblé é cultuado na Bahia

Somos descendentes de africanos,
Da Nigéria e do Congo,
Moçambique, da Angola e da Guiné,
Príncipe Custódio, velho sábio macumbeiro,
Espalhou pelo Rio Grande fundamentos em yorubá.

Alupô! Alupô!
Alupô! Bará! (Bis)
Abre os caminhos para os Bambas desfilar,
Nesta festa de batuque em homenagem aos orixás.

Deus do ferro, Deus do Fogo,
Violento Deus guerreiro,
Ogum se revoltava,
Vendo o negro em cativeiro.

Epa iê, Epa iê ô,
Minha mãe caô, (BIS)
Iansã virou-se em pedra por ciúme de Xangô.

Ibeje é, criança é,
Lá na mata tem Ossanha, tem Obá, Otim e Odé.

Xapanã, Sapatá, de aê, aê, (BIS)
Não deixe nunca quem é da nação sofrer.

Oxum-pandá, Oxum-docô são vaidosas,
Deusas do ouro, do perfume e da riqueza.

Iemanjá Cessum, Olobomi, Babá, Oxalá, (BIS)
Hoje o Bamba faz a festa em homenagem aos orixás.

Um comentário:

Leonardo Oliveira disse...

Bem esse realmente é um samba histórico e para conservar esse acervo, quero comunicar que está faltando uma parte da letra no ínico do samba.

Abraço,