domingo, 5 de fevereiro de 2012

Sexta- feira - 17 de fevereiro

01 - Imperatriz Dona Leopoldina
Fundação: 5 de janeiro de 1981
Presidente: Mauricio Santos
Interprete: Emerson Dias e Cesinha
Carnavalesco: Chico Passos 
Mestre de bateria: Cachorrão
Porta-Estandarte: Gisa
MS e PB: Alexandre e Isabel

Samba-enredo:

75 anos de cara pintada de Brasil – UNE somos nós, nosso samba, nossa voz
Autores: Emerson Dias, Mingau e Andy Lee

Minha coroa faz você tremer
Meu pavilhão é que me faz chorar
No samba hoje a UNE somos nós
Comunidade Imperatriz é nossa voz


Avante, a nossa marcha começou
Coragem é a vanguarda juvenil
Em tempos de mexer balangandãs
Buscavam esperança pro Brasil
Na fé vão quebrando barreiras
A paz era sua bandeira
Rebelde sim, de coração
O que é nosso ninguém tira, vale ouro
Legalidade, liberdade de expressão

Do Mané pro Pelé a galera gritou “É gol, é gol”
Um estilo dançante tão lindo surgiu
Dos anos dourados, a lembrança ficou
A força da União Estudantil


Tormenta, repressão, tirania o povo não agüenta
Do lado mais fraco a corda arrebenta
Um clamor pelas ruas se fez ecoar
Caminhando, cantando, seguindo a canção
Somos todos iguais, armados ou não
Quero seguir, é proibido proibir
De cara pintada o meu anseio é maior
E mostro a cara pro futuro ser melhor
O tempo não pára, o sol vai nascer
Sou um guerreiro Leopoldina até morrer

02 - Unidos de Vila Isabel 
Fundação: 7 de abril de 1979
Presidente: Juarez de Souza
Interprete: Aryzinho
Carnavalesco: Sandro Raully
Mestre de bateria: Patê
Porta-Estandarte: Silvana Matos
MS e PB: João Boff e Cintia

Samba-enredo:
Ibia Mon – Minha história, minha raiz
Autores: Aryzinho, Sérgio Aguiar e Zé Ivo

Acende o farol a Vila vai passar
No balanço dessa festa popular
Sou Vila Isabel, seu filho fiel
Vou cantar


Uma linda história de amor
Vivo esse sonho colorido
Nesse solo consagrado
Terra abençoada, Ibia-Mon querido
O índio foi primeiro nesse chão
Brancos e negros com fé e devoção
Construíram a matriz patrimônio do país
Nossa Senhora da Conceição

Olha quanta beleza da flora
As águas dos rios, a fauna
Um cenário fascinante paraíso natural
Meu cartão postal


Na riqueza do caminho
Tropeiros, passagens, memórias
A revolução de alma e paixão
Trincheiras, batalhas e glórias
Já fui capital herdei a tradição
Eu tenho raiz, folclore e cultura
Sou a miscigenação
E quero mostrar ao mundo inteiro
O orgulho de ser Viamão

03 - União da Vila do IAPI
Fundação: 21 de março de 1980
Presidente: Jorge Sodré
Interprete:  Renan Ludwig
Carnavalesco: Sérgio Guerra
Mestre de bateria: Boneco
Porta-Estandarte: Cristiane
MS e PB: Gustavo Tiriri e Suelene

Samba-enredo:  
Água, berço da existência
Autores: Rafael Tubino e Victor Nascimento 

No embalo desse mar as águas vão rolar
E a Zona Norte vem com sede pra ganhar
De azul, vermelho e branco em poesia
No Porto Seco eu faço um banho de alegria


Água presente divino
No ventre germina a vida
A brisa espalha o seu afã
Na herança de um novo dia
É fascinante a energia da mãe Iemanjá
O afago das ondas no azul do mar
Vejo florescer da terra riquezas
Brotando a natureza em comunhão
Gotas de orvalho no amanhecer
Num céu de cores em profusão

Nas verdes matas o índio a dançar
A lua cheia clareia as águas de Y-îara
Nos rios de Oxum, devoção singular
Banhada em fé a Vila vai passar


Senhor abençoe essa fonte
Que deságua dos montes
Em lagos, cachoeiras cristalinas
Buscando vitórias com inspiração
Lavando a alma, salvando vidas
O berço da existência clama por preservação
O Rio-Mar pede respeito
Lutamos com braço forte em união
Nosso canto ecoa em forma de oração
Reluzindo as cores do meu pavilhão

04- Acadêmicos de Gravataí
Fundação: 26 de fevereiro de 1961
Presidente: Rita Bittencourt
Interprete:  Lú Astral
Carnavalesco: Comissão de carnaval
Mestre de bateria: Márcio
Porta-Estandarte: Denise
MS e PB: Márcio e Simone

Samba-enredo:
A Onça Negra samba e canta Passo Fundo
Autores: Conrado Laurindo, Fred Inspiração, Ricardo Abraham e Willian Tadeu

Pelas águas da imaginação
A Onça Negra te convida a navegar
Meu samba é a correnteza
É tanta beleza que corre no olhar
Um dia lágrimas que a lua derramou
Nascia doce sonho de amor
Então às margens do rio cada desafio o índio venceu
Das profundezas um monstro assombrou
Mas a coragem é real valor
Vieram bandeiras pra explorar as riquezas do lugar

Nos quilombos a resistência
Revela a tua essência
A imigração floriu, o braço forte construiu
És um orgulho do meu Brasil


E a cidade cresceu com o charme europeu em seus casarões
Seguindo os trilhos da história, os anos de glória
O luxo e o requinte nos salões
A fé clareia o teu coração
É imortal a voz no céu a te guiar
Que traz a arte pro teu berço
Na caravana da cultura popular
Vejo a folia nas ruas, encanta o folclore em festival
É linda a natureza a revelar
Cenário pro gaúcho se orgulhar
E preservar para o futuro que virá

Sou Gravataí, sou poeta e sambista
E como artista eu quero fazer
De Passo Fundo o tema
De um poema pra você


05 - Bambas da Orgia
Fundação: 6 de maio de 1940
Presidente: Rosalina Conceição
Interprete: Sandrinho Gessé
Carnavalesco: Diguilin
Mestre de bateria: Estevão
Porta-Estandarte: Patrícia
MS e PB: Evandro e Fabiana

Samba-enredo:
Dos cerros do solo gaúcho nasce a Rainha da Fronteira – Bagé, um salto para o futuro
Autores: Arilson Trindade, Claudinho, Juliano Centeno, Ciganerey e Sandrinho Gessé

Brilhou no céu, sublime encanto
A minha águia anunciou
Bagé você é a paixão dos Bambas da Orgia
Num mar azul e branco de amor e alegria


Sou índio forte, sangue guerreiro, Ypagé
Nesta emoção vou viajar
Charrua sou o dono desta terra
Revoluções, batalhas e vitórias
Orgulho a relatar
Retrato este chão repleto de glórias
Que a razão maior vem homenagear
A filha do Rio Grande, Rainha da Fronteira
Onde a poesia mora à luz do luar

Hoje eu vou semear
Cultivar, reviver minha raiz
Teus verdes campos, é tradição
Um véu de estrelas no sul do meu país


É lindo ver a nossa miscigenação
Arquitetura, a Catedral de São Sebastião
Das mãos do escritor emana cultura
Bailes, clubes, antigos carnavais
Monumentos da história
Que revelam o folclore e a memória
No toque do tambor o príncipe africano propagou
E a nação reconheceu um presidente e o Analista de Bagé
O clássico Ba-Gua e o tetra jogador
Personagens deste povo sonhador
Traçaram laços de esperança
Na realidade de um futuro promissor

Nenhum comentário: