quarta-feira, 9 de abril de 2014

Avaliação do carnaval 2014 parte dois

Na primeira parte da avaliação o foco foi Porto Alegre, agora vou pelo Rio Grande afora.

Canoas
Canoas tenta se tornar faz algum tempo uma opção de carnaval na região metropolitana, dividiu suas escolas em dois grupos a três anos em busca de fortalecer seu evento. O problema que vejo em Canoas, além da proximidade com Porto Alegre é o excesso de entidades. Excesso? Sim, a cidade tem doze escolas em via de ter mais uma, duas ou até três, ou seja passaria para treze, quatorze ou até quinze que são localizadas as vezes dentro do mesmo bairro, veja a lista abaixo. As escolas variam de 150 a 400 componentes, ou seja se em um dos bairros tiver duas com 400 no máximo se chega a 800; será que realmente é necessário tantas entidades? Não tenho nada contra a fundação de escolas, mas sou da opinião que escola de samba tem que ter gente, escola do "eu com,  eu mesmo" não dá. E a cobertura do evento sem patrocínio para as rádios foi nula, assim como a da prefeitura, curioso que tem até rádio no site da prefeitura que cobre muito bem o prefeito, ops, a administração da cidade. Zero para a entidade que promove o carnaval em parceria com a prefeitura, não tem qualquer tipo de preocupação em divulgar suas filiadas e eventos, internet é algo desconhecido por este pessoal. (Esta frase será repetida várias vezes.)
Escolas
Acadêmicos de Niterói e Imperatriz da Grande Niterói - Niterói (aqui ainda pode ter a Bambas de Niterói)
Rosa Dourada e Nenê da Harmonia - Harmonia
Acadêmicos da Grande Rio Branco e Estado Maior da Rio Branco - Rio Branco 
Nossas Raízes e Unidos do Guajuviras - Guajuviras
Império da Mathias e Pérola Negra- Mathias Velho
Guardiões da Bom Sucesso - Vila Bom Sucesso
Os Tártaros - Nossa Senhora das Graças

Cruz Alta
Entrou no foco devido a prefeitura da cidade ter patrocinado a cobertura do evento, a pergunta; permanecerá em evidência se no futuro patrocínio for retirado?  Pelo menos ao que parece a comunidade está inclinada por tudo que se ouviu a tornar o carnaval um evento da cidade, não apenas dos carnavalescos e tem um sambódromo que já é uma vantagem até sobre a capital. Zero para a entidade que promove o carnaval em parceria com a prefeitura, não tem qualquer tipo de preocupação em divulgar suas filiadas e eventos, internet é algo desconhecido por este pessoal.

Uruguaiana
O terceiro carnaval do Brasil (segundo a opinião deles mesmos) recebe com grande apreço deste humilde blog o troféu Lambão 2014. Como um carnaval que se autoproclama do terceiro maior carnaval do Brasil (sugiro ir ao YouTube e pesquisar por carnaval de Florianópolis, de Vitória/ES, de Manaus entre outros, antes de repetir este tipo de afirmação) consegue errar a contagem de notas e definir a campeã que não foi campeã? Para quem não sabe, a Unidos da Toca do Lobo foi declarada no dia da apuração oficial a campeã do grupo 2,  para minha surpresa dias depois a campeã mudou, a "nova" campeã foi oficializada, Unidos da Mangueira. O problema foi de leitura, não conseguiram ler corretamente a nota de um jurado. Pelo que sei dos bons carnavais pelo país afora a regra diz que o jurado deve escrever a nota nas papeletas de forma numérica e por extenso e quando ocorrer algum problema a nota deve ser descartada e atribuído ao quesito a maior nota dada pelos outros jurados. Uruguaiana não conhece este procedimento? O terceiro maior carnaval do Brasil não teve transmissão de televisão, explicação? Faltou patrocínio. O que é difícil de acreditar em se falando do terceiro carnaval do Brasil. Eu vi desfiles pela televisão de Vitória no Espírito Santo, além do Rio e Porto Alegre e sei que São Paulo, Manaus, Florianópolis também tiveram desfiles transmitidos. Como as emissoras esqueceram do terceiro carnaval do Brasil este ano? Zero para a entidade (no caso a prefeitura),  a divulgação do evento pela internet é uma das piores que já vi.

Outras cidades

Pelotas, não teve desfile das escolas de samba do grupo especial. Parece que o prefeito atual desconhece a tradição das entidades. Só que ele não é o único culpado, os presidentes da escolas com a explicação de reservar recursos para construção de um espaço definitivo também lavaram as mãos e encontram uma boa desculpa para não colocar suas escolas na avenida. Exceção para a General Telles que foi para avenida mesmo que apenas para um desfile de participação.

Passo Fundo me chamou a atenção mais pelo que não ocorreu do que pelo contrário. O que não ocorreu este ano? Repasse de verbas públicas para o evento, vi uma entrevista do prefeito em que exaltava o fato com uma euforia enorme. Bom, Passo Fundo encontrou outro meio de custear seus eventos temos que aplaudir certo? Devem ter notado que coloquei eventos no plural e em negrito, até por que se o único evento que a cidade realiza que não vai receber verbas públicas é o carnaval então isto não passa de discriminação e não de uma nova forma de agir da prefeitura. O rodeio internacional de Passo Fundo, a encenação da Batalha do Pulador entre outros que estão listados no site da prefeitura, receberão dinheiro público ou não? Divulgação recebem, afinal estão no site da prefeitura; o carnaval da cidade não. Que conversa é esta, o que o carnaval tem de menos evento cultural que outros? Será que é o fato de reunir em sua maioria pessoas pobres (por hora cito apenas a pobreza) é a razão para não ter direito a tratamento igualitário? Ou carnavalesco, não come, não veste, não paga impostos e principalmente para o interesse dos políticos, não vota? Zero para a entidade que promove o carnaval em parceria com a prefeitura, não tem qualquer tipo de preocupação em divulgar suas filiadas e eventos, internet é algo desconhecido por este pessoal.

Alvorada e Esteio, a citação a esta duas cidades tem relação com o retorno de entidades aos desfiles; em Alvorada o retorno de Os Astros (campeã do acesso) e em Esteio da Mocidade do Jardim Planalto (campeão da cidade).  Excelente, retorno de entidades tradicionais é sempre motivo de alegria para quem gosta de carnaval. Zero para a entidades que promovem o carnaval em parceria com a prefeituras, não tem qualquer tipo de preocupação em divulgar suas filiadas e eventos, internet é algo desconhecido por este pessoal.

Encruzilhada do Sul, zero para a o prefeito da cidade. Sem desfile e concurso de baterias em ginásio. Alguém apresente o carnaval a esta pessoa, pois desconhece totalmente o que é. Zero para os presidentes das escolas que aceitaram esta bobagem. Zero na questão da divulgação das escolas.

Estância Velha, zero para todos os presidentes da escolas, que segundo a prefeitura solicitaram que o desfile deste ano não fosse competitivo. Quando li isto no site a prefeitura quase cai para trás. E mais um zero pela não divulgação de informações das escolas e do evento na internet, esperando que a prefeitura faça. 

Em várias cidades os desfiles cancelados ano passado com a desculpa esfarrapada da falta de dinheiro foram retomados, mas enquanto o carnaval não virar lei sempre estarão sob a ameaça de cancelamento por qualquer motivo e dependendo da boa vontade do prefeito de plantão. Se você faz parte de qualquer escola procure cobrar do seu presidente para que este busque junto aos governos municipais e vereadores transformar o evento da sua cidade em lei, caso contrário não reclame quando tiver desfile para sua escola.

Carnaval fora de época

Muitas cidades realizaram o carnaval fora de época, a questão é que em alguns casos o ir para outra data foi um questão de desorganização e não de algo pensado e estudado. Mudar o carnaval de uma cidade de época não pode ser uma questão para resolver problemas de planejamento das escolas ou das prefeituras. Tem que ser algo pensado, planejado e trabalhado, tirar os desfiles da data oficial apenas por tirar apenas desvaloriza o evento. Rio Grande fez isto e não teve cobertura de nenhuma emissora de rádio, li que algumas escolas da cidade fizeram seus preparativos em 45 dias; isto não existe. Depois as pessoas que não gostam de carnaval saem por ai dizendo que as escolas de samba não trabalham durante o ano e só querem saber de verbas públicas. Pode se condenar tal afirmação diante de uma situação como a citada?

Horário

Outro ponto comum que escutei e li sobre o assunto foi dos absurdos atrasos nos desfiles. Demora para começar, demora entre uma escola e outra e assim por qualquer outra razão o maldito atraso. É inadmissível que este tipo de situação quando ocorra seja ainda justificada pelos dirigentes e organizadores com algo menor. Se um desfile está marcado para começar as 22 horas, tem que iniciar no horário não é 21:59 e nem 22:01. Não interessa se ocorreu ou não cobrança de ingresso, quem cobra tem obrigação de iniciar no horário já que as pessoas pagaram e quem não cobra tem a mesma obrigação, pois em regra onde não existe venda de ingressos o custo das estruturas para o desfile é público então a população paga de forma indireta e deve ser respeitada.

Ligas, Associações e afins

Deixei para o final este assunto. As pessoas que leem o meu blog e visitam meu site devem ter percebido que gosto de preservar os dados históricos dos carnavais. Sempre que posso e encontro informações sobre a escola (data de fundação, cores, símbolo, títulos, enredos e classificações)  atualizo o meu site. Porém esta preocupação não passa nem perto da cabeça dos presidentes das escolas e entidades que as representam, na página Rio Grande do Sul no Porto na Folia, listo várias cidades e tento manter o mais atualizado possível. O que esta página tem em comum com as outras na internet sobre o assunto (em especial sites de prefeituras) ? Simples, o mesmo tipo de informação (mentira, meu site tem mais detalhes) pois é isto que as entidades que representam as escolas e que organização os eventos disponibilizam; em regra uma ordem de desfiles, data e local. Enredos, dados sobre a escola fora o nome (as vezes errado) não se encontra. Na era da internet, em que todos os especialistas falam sobre a convergência das mídias para a internet, as entidades que representam as escolas de samba pelo estado do Rio Grande do Sul desconhecem esta ferramenta de divulgação e de seu amplo alcance. Esta última frase vale para Porto Alegre também. E só para não deixar passar, as coberturas feitas pelos sites das prefeituras além de na sua maioria serem absurdamente precárias tem um ponto em comum, não interessa a qual partido pertença o prefeito e seus auxiliares. A exaltação ao grande "político e carnavalesco" que com seu suor e labuta permitiu a realização deste grande evento (ironia). As vezes dá vontade de vomitar com o puxa-saquismo da imprensa oficial. 

E quem não gostou das críticas tem uma solução, é só trabalhar para corrigir os problemas ai abro espaço para elogios. Se criarem sites ou até mesmo um blog para divulgar seu trabalho coloco aqui e parabenizo. Caso contrário desço a lenha de novo.

Um comentário:

Luiz Roberto Corrêa disse...

Consulte o temista Sérgio Peixoto sobre o que foi feito com os jurados do CETE pelo carnaval de Bagé.