quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

Vou elogiar, mas não integralmente

Vou elogiar as escolas de samba e suas entidades de administração pelas mudanças anunciadas no regulamento do carnaval 2016, teremos mesmo que disfarçado descenso após os desfiles deste ano. Como vai ser, das dez escolas que compõe o grupo especial as duas últimas descerão para formar um novo grupo chamado de Série Prata, o grupo especial em 2017 terá oito escolas e passará a se chamar Série Ouro. Já a nova Série Prata além das duas escolas rebaixadas do grupo especial de 2016 será composto pelas seis primeiras colocadas do chamado "Grupão". Já as seis últimas do "Grupão" mais Mocidade da Lomba do Pinheiro e Filhos da Candinha formarão a nova Série Bronze. Na notícia pode também ser confirmado que a Imperatriz Leopoldense está fora do carnaval de Porto Alegre.

Em 2017 teremos três grupos de oito escolas cada.

Série Ouro descerão duas, subindo uma da Série Prata.
Série Prata sobe uma para a Série Ouro, descem três para a Série Bronze.
Série Bronze sobe uma para a Série Prata e descem quatro.

Em 2018 teremos três grupos, dois com sete escolas e um com seis. Está previsto também a possibilidade de em 2019 ser criado um novo grupo com as escolas que ficarem fora dos três grupos principais, dependendo da boa vontade do poder público.

Então;

2017 - 3 grupos de oito.
2018 - 2 grupos de sete e um de seis.

Para um evento que não tinha previsão de acesso e descenso certamente uma evolução, porém mesmo quando se nota razões para o elogio também se percebe o quanto é lento o carnaval de Porto Alegre na figura de seus dirigentes na hora de fazer o correto. O retorno aos grupos de sete escolas é uma evolução, o carnaval de Porto Alegre nunca teve condições de fazer duas noites de especial com qualidade, mesmo que os dirigentes afirmassem o contrário. Quando se cometeu a loucura de aumentar o grupo especial de sete para dezesseis acabou-se na verdade enfraquecendo o desfile principal, se misturou escolas do Grupo A que estavam mais próximas de ir para o Grupo B do que para o Especial e escolas diretas do Grupo B. Além de minar o Especial criou um grupo de acesso muito fraco. Foram anos para chegar as atuais dez escolas. Agora mais uma vez vai se levar dois anos para chegar ao ideal. Por isto o elogio não é completo. Por que ao invés de duas não descer três para a Série Prata? Por que não ficar com apenas 21 escolas já para 2017? Seria fácil. Vamos ao modelo: as sete primeiras do Especial de 2016 estariam na Série Ouro de 2017, as três rebaixadas do Especial mais as quatro primeiras do "Grupão" formariam a Serie Prata e da quinta até a 11ª colocadas do Grupão seriam a escolas da Série Bronze.  Já a 12ª colocada do Grupão mais Filhos da Candinha e Mocidade da Lomba do Pinheiro formariam este tal de novo grupo.  Mas não vamos fazer tudo no modo lento e mais demorado. Uma pergunta por que a Série Bronze terá seis escolas e não sete em 2018? Por que não três grupos de sete escolas? Um elogio a mudança, mas gostaria que fosse possível dar os parabéns completos. 

3 comentários:

Anônimo disse...

Carnaval com denominação de divisão de futsal(serie ouro,prata e bronze)...eles gostam de inventar

Dorian Bueno disse...


GOVERNANTES NÃO GOSTAM DE CARNAVAL !!!

Mais um CARNAVAL que virá sem que alguém da pasta de cultura tenha conseguido ajudar dar andamento ao projeto da pista de eventos dos carnavalescos, dos motoqueiros e dos vândalos lá no porto seco.

Não quero depositar a culpa na sua pasta, mas que falta vontade política para isto falta.

O porto seco é o lixão de todas as comunidades que gostam de carnaval e da nossa senhora aparecida.

É estranho porque até a procissão da nossa senhora aparecida liderada por um padre, percorre toda a cidade e tem o seu desfecho através de uma missa para os motoqueiros lá nesta área desabitada, maltratada e com pouca segurança o ano inteiro.

Podemos definir que tudo que está ocupando espaço sem produzir receita durante o ano, manda lá pro lixão da zona norte.

Lá nos seus barracões tem depositado no seu interior muitas ferragens, materiais decorativos, instrumentos musicais, chassis de caminhão, purpurina, tecido diversos para fantasias e muitos sonhos dos carnavalescos para um novo carnaval.

Não é pouca coisa, mesmo assim, os carnavalescos conseguem gerar benefícios durante o período pré-carnavalesco para muitas famílias que hoje estão morando na volta deste futuro e utópico complexo de eventos.

O que adianta o artista sonhar e não ter um espaço bonito, moderno que há muito tempo é prometido pelos seus representantes políticos.

No dia que é realizado os desfiles, muitos percorrem camarotes e ainda são saudados com se não fossem culpados por até hoje não terem um espaço descente para eventos populares na zona norte.

Tenho saudade do carnaval de bairro, aquele que não era cobrado e que as pessoas ficavam ali no cordão da calçada vibrando com sua escola do coração.

Este tipo de carnaval era mais gostoso e não gerava tantos investimentos.

Como não podemos viver do passado, a pista de evento é uma necessidade para que Porto Alegre possa ter mais um espaço para grandes eventos o ano inteiro.

Abs. Dorian R. Bueno – POA, 29.01.2016

Dorian Bueno disse...


GRITOS DE GUERRA PARA UM ALEGRE CARNAVAL !!!!

ESTÁ NA HORA, ALÔ HARMONIA, EUUUU GOSTO ASSIM, VAMO QUE VAMO, VAMO QUE VAMO, VAMO QUE VAMO, SCURIBA, NO TUTUFUN AGORA É SERIO, É...TUM, SE FOR PARA SACUDIR, SACODE PRA MIM, SENTA A PUA, BEM PEGADO, SOLTA O BIXO, ALÔ COMUNIDADE, VAMOS TRABALHAR.

Muitos destes gritos hoje gritam lá do céu, mas ficaram na memória de todos nós como os do CARLOS MEDINA E GILSON DORNELLES.

Existem muitos gritos de guerra de outros puxadores das escolas de samba, para que no início dos desfiles possam explodir de emoção suas alas e arquibancadas do Porto Seco.

Cabe informar que esta festa popular é o único evento no mundo que consegue agrupar no mesmo espaço de tempo para desfilar diversos tipos de pessoas.

Todos passam a ser iguais, cantam a mesma música, são alegres, aplaudidos e no final agradecem a DEUS pela oportunidade.

Sejam sambistas fantasiados, pai, mãe, filho, primo, cunhado, avós, amigos são todos uma grande família.

O legal de tudo isto é que a miscigenação de raças é imensa: o preto, branco, índio, mameluco e o cafuzo, todos em paz e felizes.

Muitos irmãos conseguem oportunidades para trabalhar no carnaval e colocar mais alegria dentro da sua família

Sejam do meio, jornalístico, esportista, médico, advogado, professor, político, policial, motoboy, jornaleiro, carroceiro, ator, poeta, escritor, cantor, carpinteiro, marceneiro, ferreiro, pintor, costureira, percusionista, todos são filhos de DEUS.

Que vença o melhor.

Abs, Dorian R. Bueno - 01.02.2016